Operação Lava Jato derruba aluguel de jatinhos executivos, diz colunista

Principal símbolo de poder proporcionado pelo dinheiro fácil da corrupção, o aluguel de jatinhos executivos, otáxi-aéreo, parou de crescer a partir da Operação Lava Jato. Desde então, diminuiu o número de aeronaves
disponíveis para uso. As informações são do colunista do Metro Jornal Cláudio Humberto.

Um levantamento da Anac (Agência de Aviação Civil) de 2017 mostra que a partir da operação comandada pelo juiz Sérgio Moro quase 100 jatinhos deixaram de voar no país. Eram 1.574 aviões de táxi-aéreo em 2014; hoje, 1.479. Foi a única categoria de aeronaves (privada, comercial etc.)
que reduziu. O total de aeronaves cadastradas no Registro Aeronáutico Brasileiro é 21.905; cresceu 34% em relação a 2009 e
6% em relação a 2014. Apesar de transportarem maior número de pessoas, os voos comerciais correspondem atualmente a apenas
3% das aeronaves.

Foto: Reprodução/Facebook Anac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *