Animais estavam em uma casa com risco de desabamento no bairro Guadalupe. No novo endereço dos cães, proprietária providenciou casinha coberta, além de água e ração

O vendaval que atingiu a Serra Catarinense na terça-feira (30 de junho) provocou mais de 300 ocorrências registradas pela Defesa Civil em 64 bairros de Lages. A tempestade de aproximadamente 90 minutos teve rajadas de vento com velocidade entre 90 e 130 quilômetros por hora. As consequências foram destelhamentos de residências e em estabelecimentos industriais, comerciais e de prestação de serviços e quedas de árvores e de postes de energia elétrica. O estado de Situação de Emergência foi decretado pelo prefeito Antonio Ceron no dia 1º de julho, através do documento oficial nº: 18.053.

No domingo (5 de julho), à tarde, profissionais da prefeitura se empenharam em uma ação especial de resgate e transporte de nove cães em uma casa no bairro Guadalupe, prestaram apoio à moradora tutora dos animais e realizaram o transporte dos cachorros que estavam abrigados nesta moradia, interditada pela Defesa Civil devido às condições precárias de sua estrutura e iminência de desabamento depois do vendaval. A medida garantiu a segurança e bem-estar dos animais antes da nova chuva de domingo e de eventuais transtornos e perigos a sua integridade física, foram levados por um veículo utilitário em canil metálico até o terreno/imóvel de sua “dona”, localizado no bairro Conta Dinheiro, onde poderão correr, brincar e receber alimentação, cuidados e acolhimento sem a ameaça a sua vida por estarem em local instável e abalável.

A proprietária providenciou casinha coberta, além de água e ração. “Realizamos o transporte e acompanhamento para que as coisas ocorressem da melhor maneira e sem problemas aos animais”, pontua o médico veterinário da Secretaria da Agricultura e Pesca, Thiago Henrique Cordeiro, que esteve na operação junto à gerente de Proteção Animal, da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Jenniffer Gerber. As secretarias da Agricultura e Pesca, de Serviços Públicos e Meio Ambiente e da Saúde trabalham em conjunto nestas questões.

A moradora encontrou refúgio temporário na casa de uma irmã até que a situação seja resolvida. A interdição pela Defesa Civil visa manter a vida das pessoas e dos animais.

Texto: Daniele Mendes de Melo

Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *