REGULAMENTO 1ª COPA NA GERAL DE FUTSAL

 

 

EDIÇÃO DE 2020

                               

 

 

R E G U L A M E N T O

 

 

Esse Regulamento é o conjunto das obrigações e disposições que regem a 1ª Copa Na Geral de futsal e obriga aos que com ele conviverem deve total obediência. As pessoas físicas que participarem da Copa serão consideradas conhecedoras desse Regulamento, e assim se submeterão sem reserva alguma as todas as suas disposições e conseqüências que delas possam emanar.

 

 

DA ORGANIZAÇÃO

 

Art. 1º. – A copa Na Geral é organizada pela empresa de comunicação Na Geral.

 

Art. 2º. – Os jogos serão iniciados no dia 07 de janeiro de 2020, tendo seu final em 30 de janeiro de 2020, no ginásio de esporte Ivo Silveira.

 

Art. 3º. – A competição tem como finalidade o desenvolvimento do intercâmbio esportivo, proporcionar boas relações entre os dirigentes, técnicos e atletas, estabelecer uma união segura entre os desportistas e o entrosamento imprescindível para a formação da personalidade, fazendo surgir novos valores no panorama municipal.

 

COMISSÃO TÉCNICA

 

Art. 5º. – A Comissão Técnica é integrada por: Pablo de Mello, Daniele Antunes de Almeida e Charles Neves.

 

Art. 6º. – Compete a Comissão Técnica:

 

a) Organizar e dirigir a competição de acordo com esse regulamento.

b) Elaborar o programa para os jogos.

c) Providenciar árbitros e demais autoridades para realização dos jogos.

d) Designar horários para os jogos.

e) Providenciar a divulgação dos resultados diários dos jogos bem como a programação.

f) Reunir-se com técnicos e dirigentes para o sorteio das chaves e acertos finais.

g) Aprovar os resultados das competições.

h) Controlar documentação de inscrição e registros.

i) Expedir boletim diário dos jogos.

j) Responsabilizar-se pelo cerimonial de abertura e encerramento.

 

DO CONGRESSO TÉCNICO

 

Art. 7º. – O Congresso Técnico da Copa Na Geral de Futsal será presidido pela equipe da Na Geral.

 

Art. 8º. – O Congresso Técnico reunirá os dirigentes das equipes inscritas para os jogos.

 

Art. 9º. – O Congresso Técnico reunir-se-á no dia 07 de dezembro, às 19:00 horas, Cineteatro da Praça do CEU, ao lado do ginásio de esporte Jones Minosso. Obedecendo a seguinte ordem do dia:

 

a) Homologar as inscrições das equipes para os jogos.

b) Sorteio das Equipes para a composição das chaves.

 

Art. 10º. – Terá direito a voto no Congresso Técnico somente um representante de cada equipe participante, não sendo permitido voto por procuração.

 

Art. 11º. – As deliberações do Congresso Técnico serão tomadas nominalmente e por maioria de votos, cabendo ao Diretor do Na Geral, Sr. Pablo de Mello, em caso de empate, o voto Minerva.

 

DA PARTICIPAÇÃO

 

Art. 12º. – As despesas de viagens, e arbitragem e outras decorrentes realizadas pelas equipes inscritas correrão por conta dos participantes.

Parágrafo primeiro – Na fase de grupos o valor da taxa de arbitragem é de R$ 115,00. Cruzamento de chaves, mata R$ 130,00, semifinal e final R$ 140,00

 

Art. 13º. – Será Cobrado o valor de R$ 450.00 (quatrocentos e cinqüenta reais) a título de taxa de inscrição.

 

Art. 14º. – A equipe participante poderá inscrever no mínimo 08 (oito) e no máximo 15 (quinze) atletas, um técnico, um auxiliar técnico, dirigente e um massagista, a inscrição pode ser feita até no final da primeira fase da Copa. Todos os nomes deverão constar na súmula do jogo. Comissão técnica e atletas devem apresentar documento com foto à mesa.

 

Parágrafo segundoEm caso de substituição do técnico ou dirigente, durante o transcurso do campeonato, a equipe deverá fazer a nova inscrição no prazo mínimo de 24 horas antes do início da partida que vier disputar.

 

 

Art. 15º. – Não será permitida no banco de reservas, durante os jogos, a presença de pessoas não credenciadas.

 

Art. 16º.Na ficha de inscrição deverá constar: Nome Completo, (apelido) n° CPF ou RG e assinatura de cada atleta.

 

Art. 17º. – No caso de coincidência nas cores do uniforme, a equipe mandatária do jogo será responsável pela troca.

 

Art. 18º. – É competência exclusiva de o árbitro considerar se as equipes estão ou não devidamente uniformizadas.

 

Art. 19º. – Caso o árbitro considere uma equipe sem condições de jogo deverá impedir sua participação, dando-lhe dez minutos de tolerância do horário marcado para que se apresente devidamente uniformizada.

 

Art. 20º É obrigatório o uso de: Caneleiras; uso obrigatório de coletes para os atletas que estiverem no banco de reservas; uso obrigatório da Braçadeira de Capitão das equipes participantes do evento.

 

Parágrafo terceiro – A Comissão Técnica da equipe participante do evento poderá permanecer no banco com bermuda, camisa, tênis ou sapato fechado, mas não será permitida a sua permanência com regata, chinelo, sandália, ou uniforme que possa confundir com o dos atletas.

 

Art. 21º Às costas das respectivas camisas, preferencialmente, deverão ter numeração de 01(um) a 99 (noventa e nove), não sendo permitida a repetição de números na mesma equipe e não será permitido numeração feita com fita crepe, esparadrapo ou similar, nem mesmo, camisa cortada, aparecendo o número embaixo, de outra camisa, assim que o árbitro identificar a infração será exigido a substituição do atleta.

 

DOS ATLETAS

 

Art. 22º. – Para que o atleta possa ser inscrito na Copa é necessário que se enquadre nos itens abaixo:

 

a) Estar devidamente inscrito na copa.

b) Possuir acima de 16 anos.

 

 

Art. 23º. – Não será permitida a participação, nos jogos, de atletas inscritos por duas ou mais equipes.

 

Art. 24º. – Nenhuma equipe poderá iniciar o jogo sem número legal de 03(três) atletas, conforme determinam as regras oficiais.

 

 

Caso isso aconteça a equipe pagará multa de 150,00 reais, caso a equipe desista da competição os atletas ficarão impossibilitados de participar da 1ª edição Copa Na Geral.

 

 

DOS CRITÉRIOS TÉCNICOS

 

Art. 25º. – Copa Na Geral de futsal terá seus jogos dirigidos pelas regras adotadas pela Federação Brasileira de Futsal e pela que dispõe esse Regulamento.

Parágrafo PrimeiroToda equipe terá prazo de 48 horas após o jogo para entrar com pedido de recurso ou avaliação dos fatos.

 

Parágrafo Segundo – O atleta que receber cartão vermelho, durante o transcorrer do jogo ou após o jogo cumprirá suspensão automática de um jogo.

 

Parágrafo Terceiro – O atleta que receber dois (2) cartões vermelhos, será eliminado da competição.

 

Parágrafo Quarto – O atleta após receber dois (2) cartões amarelos cumprirá suspensão automática de 1 partida, porém, se na partida o atleta tiver tomado pelo menos 1 cartão amarelo e logo após o vermelho ( quando o atleta receber o segundo cartão amarelo no jogo), este cartão amarelo será zerado. Se o mesmo receber cartão vermelho diretamente, manterá os cartões amarelo do jogo e das rodadas anteriores, e o vermelho da mesma partida cumprindo apenas uma partida de suspensão.

 

Parágrafo Quinto – Os cartões amarelos serão zerados no final da primeira fase, porém, em caso do recebimento do segundo cartão amarelo na última rodada da competição, o mesmo deverá cumprir uma partida de suspensão automática na primeira rodada da segunda fase.

 

Parágrafo Sexto – A equipe que colocar qualquer atleta para jogar e este esteja suspenso, será multada no valor de R$ 250,00. Caso o pagamento não for feita antes da próxima rodada, a equipe é eliminada da competição.

 

Art. 26º. – Os atletas só poderão utilizar para as disputas das partidas, tênis de solado liso, ou aquele apropriado para o FUTSAL.

 

Parágrafo único – Será obrigatório o uso de caneleiras e uniforme completo, constituído de camisa calção e meião.

 

 

Art. 27º. – Qualquer elemento ligado direta ou indiretamente a uma equipe, agredir integrante de outra equipe, árbitros ou seus auxiliares, autoridades dos jogos, assistentes da competição, e se a agressão for física, exemplos (tapas, soco, pontapé), a equipe será excluída da competição.

 

 

Art. 28º. – O atleta, técnico, dirigente ou auxiliar expulso de uma partida, ficará automaticamente suspenso na partida seguinte,

 

 

Art. 29º.A classificação será feita por pontos ganhos obedecendo aos seguintes critérios:

 

a) Vitória……………………………..03 pontos

b) Empate…………………………..01 ponto

c) Derrota…………………………..00 pontos

 

Art. 30º – Ocorrendo empate na classificação empregarão os seguintes critérios:

 

a) Pontos

b) Vitórias

c) Gols contras

d) Confronto direto

e) Gols pro.

f) Cartões amarelo.

g) Cartões vermelho

 

 

Art. 31º.Da forma de disputa do campeonato:

O tempo de jogo terá duração de 40 minutos, divididos em dois períodos de 20 minutos corridos. Na segunda fase, semifinal e final, 5 minutos finais serão cronometrados.  

As 12 (doze) equipes inscritas no campeonato serão sorteadas e distribuídas aleatoriamente nas chaves “A” e “B”. PRIMEIRA FASE: As equipes da chave “A” jogam entre si (todos contra todos) e as equipes da chave “B” também jogam entre si (todos contra todos) dentro da própria chave. 

 

SEGUNDA FASE: Classificam-se para a próxima fase às 4 (quatro) melhores equipes de cada chave e realizam o cruzamento.

 

1ª A X 4ª B

 

1ª B X 4ª A

 

2ª A X 3ª B

 

2ª B X 3ª A

 

Nas quartas de final, em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação sendo 2 (dois) tempo de 5 (cinco) minutos cronometrados. Persistindo o empate, pênaltis. Cinco penalidades alternadas com atletas que estavam em quadra no final da prorrogação. Persistindo o empate a decisão segue para a cobrança de 3 (três) penalidades alternadas por cada equipe, e se persistir o empate, as cobranças serão alternadas de 1 (uma) a 1 (uma) podendo cobrá-las todos os atletas inscritos para o jogo

 

Na semifinal, Classificam-se 4 (quatro) melhores equipes e realizam jogo na seguinte ordem:

Vencedor: 1ª A X 4ª B – enfrenta o vencedor: 2ª A X 3ª B

Vencedor: 3ª A X 2ª B – enfrenta o vencedor: 4ª A  X 1ª B

Em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação sendo 2 (dois) tempo de 5 (cinco) minutos cronometrados. Persistindo o empate, pênaltis. Cinco penalidades alternadas com atletas que estavam em quadra no final da prorrogação. Persistindo o empate a decisão segue para a cobrança de 3 (três) penalidades alternadas por cada equipe, e se persistir o empate, as cobranças serão alternadas de 1 (uma) a 1 (uma) podendo cobrá-las todos os atletas inscritos para o jogo.

 

Na final, em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação sendo 2 (dois) tempo de 5 (cinco) minutos cronometrados. Persistindo o empate, pênaltis. Cinco penalidades alternadas com atletas que estavam em quadra no final da prorrogação. Persistindo o empate a decisão segue para a cobrança de 3 (três) penalidades alternadas por cada equipe, e se persistir o empate, as cobranças serão alternadas de 1 (uma) a 1 (uma) podendo cobrá-las todos os atletas inscritos para o jogo.

 

DA CITAÇÃO

 

Art. 32º. – A citação das partes será feita através de ofício envida por e-mail ou WhatsApp aos dirigentes.

 

 

DAS PREMIAÇÕES E TÍTULOS

 

Art. 33º. – Os três primeiros colocados receberão troféus e medalhas.

 

Parágrafo Único – Nesse campeonato serão também premiados o artilheiro e goleiro menos vazado.

 

 

Art. 34º. – Equipe Na Geral, sendo representado pelo diretor: Pablo de Mello se baseará neste regulamento e nas regras internacionais de Futsal tendo o direito ainda de modificar o presente regulamento, mas sempre que assim o fizer, dará conhecimento as equipes através de notas oficiais ou reuniões.

 

PREMIAÇÃO 1ª COPA NA GERAL DE FUTSAL

 

1º Lugar     R$ 1.000,00 + Troféu e medalhas

 

2º Lugar      R$ 500,00 + Troféu e medalhas

 

3º Lugar      Troféu e medalhas

 

 

Na Geral

Pablo de Mello

Fone/ Whats (49) 99908 5252