Texto publicado no blog olivetesalmoria.com.br

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mário Hoeller de Souza foi protocolado na Câmara, através de seus advogados, uma revisão na CPI, “e estamos comprovando que ele (Jair Júnior) usou de má fé. Ele sabia da situação e forçou para que ganhar holofote. Ele é piá novo. Holofote demais ofusca a vista e ele está querendo aparecer demais, colocando pessoas idôneas e sérias, com nenhum tipo de comprovação ou indício de roubo, como ele nos qualificou. Todos sabem que o termo usado por ele significa dizer que eu sou um ladrão culposo (por peculato culposo). Eu até não consigo entender este termo e falei com alguns amigos advogados e ninguém achou este termo ai. Mas o rapazinho é novo e ele vai aprender ainda,”explicou Marião.

Marião disse também que houve irregularidades no relatório porque, “primeiro nos chama como testemunha e fomos arrolados. Em nenhum momento fomos chamados como acusados. Eu e muitos outros como o próprio ex-secretário Flavinho. Esta é uma delas e é básica. Isso que ele ainda, se não me engano, é estudante de direito. Ele acusou o Agessander de estar no barracão antes da data que o Agessander disse estar. Ele estava acusando e usando da má fé sem nos dar nenhum direito. Então é uma CPI viciada, feita apenas para ele aparecer porque parece que quer ser candidato a deputado. Nós temos de ter cuidado porque joga o nosso nome na lama e eu tenho toda uma história. Moleque nenhum vai fazer isso comigo e vai sair dando risada. Vamos buscar ressarcimento dos danos que está nos causando,” relatou o secretário.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *